quinta-feira, 18 de agosto de 2011

RESUMO DO LIVRO - DIDÁTICA

PRÁTICA EDUCATIVA, PEDAGOGIA E DIDÁTICA – cap. 01
A ciência que investiga a teoria e a prática da educação nos seus vínculos com a prática social global é a PEDAGOGIA, sendo a DIDÁTICA uma disciplina pedagógica com finalidades educacionais, estuda os objetivos, os conteúdos, os meios e as condições do processo de ensino.
PRÁTICA EDUCATIVA E SOCIEDADE
A prática educativa é um fenômeno social e universal, sendo uma atividade humana necessária à existência e funcionamento de todas as sociedades. Em sentido amplo, a educação compreende os processos formativos que ocorrem no meio social, pelos simples fatos dos indivíduos existirem socialmente (religião, costumes, convivência humana). Em sentido estrito, ocorrendo em instituições específicas (escolares ou não) sem separar-se daqueles processos formativos gerais.
As influências educativas podem ser ou não-intencionais e intencionais. A educação não-intencional refere-se às influencias do contexto social e do meio ambiente sobre os indivíduos, ou seja, a educação informal (experiências, idéias, valores, prática) que não estão ligadas especificamente a instituição. A educação intencional é o caso da educação escolar e extra-escolar, pois a consciência por parte do educador quanto aos objetivos e tarefas que deve cumprir (pai, professor ou outros adultos em geral).
Podemos ainda falar de educação não-formal atividades educativas fora do sistema convencional e da educação formal realizadas na escola e em outras instituições educacionais (igreja, sindicatos, partidos, empresas, etc.). O processo educativo é sempre contextualizado social e politicamente;  há uma subordinação à sociedade que determina objetivos, condições e meios de ação.
A educação é um fenômeno e um processo social, porque é parte integrante das relações sociais, econômica, políticas e culturais de uma determinada sociedade. Classes e grupos sociais  com interesses distintos e antagônicos, repercute tanto na organização econômica e política quanto na pratica educativa. A educação socialmente determinada significa que a prática educativa: objetivos, conteúdos de ensino e o trabalho docente estão determinados por fins e exigências sociais, políticas e ideológicas.
O papel da educação está implicado nas formas que as relações sociais vão assumindo pela ação prática concreta dos homens. No trabalho docente, sendo manifestação da prática educativa estão presentes em interesses de ordem sociais, políticas, culturais que precisam ser compreendidas pelos professores.  Tal como a educação também o ensino é determinado socialmente.
EDUCAÇÃO, INSTRUÇÃO E ENSINO
         Educação é um conceito amplo que se refere ao processo de desenvolvimento unilateral da personalidade, envolvendo a formação de qualidades humanas, tendo em vista a orientação da atividade humana na sua relação com o meio social, num determinado contexto de relações sociais. Nesse sentido a educação é uma instituição social e um processo. A instrução se refere a formação intelectual e o desenvolvimento das capacidades cognitivas e o ensino corresponde a ações, meios e condições para a instrução. Havendo uma unidade entre a educação e instrução.
EDUCAÇÃO ESCOLAR, PEDAGOCIA E DIDÁTICA
            Pela educação escolar, democratizam-se os conhecimentos, forma-se a capacidade de pensar criticamente os problemas e desafios postos pela realidade social. Na pedagogia determina-se o rumo desse processo em sua finalidade e meios de ação. Didaticamente é investigado os fundamentos, condições e modos de realização da instrução e do ensino. A própria sala de aula é um ambiente social que forma, junto com a escola com um todo, o ambiente global da atividade docente para cumprir os objetivos de ensino.
A DIDÁTICA E A FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO PROFESSOR
Abrange duas dimensões a formação teórico-científica e técnico-prática. Uma vez que a formação do professor implica pois em uma contínua interpretação entre a teoria e a prática, permitindo maior segurança profissional.
        
DIDÁTICA E DEMOCRATIZAÇÃO DO ENSINO – cap. 02
A Preparação das crianças e jovens para a participação ativa na vida social é o objetivo da escola pública. A instrução proporciona o domínio dos conhecimentos sistematizados e promove o desenvolvimento das capacidades intelectuais dos alunos. A didática e as metodologias específicas das disciplinas, apoiando-se em conhecimentos pedagógicos e científico-técnicos são disciplinas que orientam a ação docente partindo das situações concretas em se realiza o ensino.
A escolarização e as lutas democráticas é um dos requisitos fundamentais para o processo de democratização. Ao adquirirem um entendimento  crítico da realidade através do estudo das matérias escolares e do domínio de métodos pelos quais desenvolvem suas capacidades cognitivas e formam habilidades para elaborar independentes os conhecimentos, podendo os alunos expressarem de forma elaborada os conhecimentos que correspondem aos interesses majoritários da sociedade e inserir-se ativamente nas lutas sociais.
Para efetivação dos vínculos entre a escolarização e as lutas pela democratização da sociedade é necessário a atuação de frentes políticas e pedagógicas. A escola pública deve ser unitária pois deve garantir uma base comum de conhecimento expressos num plano de estudos básicos de âmbito nacional, garantindo um padrão de qualidade do ensino para toda a população. A escola pública deve ser democrática no sentido de que nela devem vigorar mecanismos democráticos de gestão interna envolvendo a participação conjunta da direção, dos professores e os pais.
A escola pública deve ser gratuita porque é um direito essencial dos indivíduos para se constituírem como cidadãos. Em síntese, a escola é um meio insubstituível de contribuição para as lutas democráticas, na medida em que possibilita as classes populares, ao terem acesso ao saber sistematizado e as condições do aperfeiçoamento das potencialidades intelectuais, participarem ativamente do processo político sindical e cultural.
O FRACASSO ESCOLAR PRECISA SER DERROTADO
É necessário rever a concepção da qualidade de ensino. Isso significa que programas, conteúdos, métodos, formas de organização somente adquirem qualidade quando são compatibilizados com as condições reais dos alunos.  Tais condições influem na percepção e assimilação dos conteúdos das matérias, na linguagem, motivações para o estudo, aspirações para o futuro e nas relações com o professor. O ensino contribui para superação do fracasso escolar se os objetivos e os conteúdos são acessíveis, socialmente significativos e assumidos pelos alunos.
A escola e o professor têm sua parte a cumprir na luta e o fracasso escolar. E, sem dúvida, o ponto vulnerável a ser atacado é a alfabetização, pois é um meio indispensável para a expressão do pensamento da assimilação consciente e ativa de conhecimentos e habilidades, meio de conquista da liberdade intelectual e política.
A TAREFA DA ESCOLA PÚBLICA DEMOCRÁTICA
É responsabilidade, também do ensino do 1 º grau, colocar os alunos em condições de continuarem estudando e aprendendo durante toda a vida e inculcar valores e convicções democráticos, tais como respeito pelos companheiros, solidariedades, capacidade de participação em atividades coletivas, crenças nas possibilidades de transformação da sociedade, coerência entre palavras e ações e o sentimento de coletividade onde todos se preocupam com o bem de cada um e cada um se preocupa com o bem de todos.
A escola pela qual devemos lutar hoje visa o desenvolvimento científico e cultural do povo, preparando as crianças e jovens para vida, o trabalho e para cidadania, através da educação geral, intelectual e profissional. A democratização do ensino se sustenta nos princípios da igualdade e da diversidade.
O COMPROMISSO SOCIAL E ÉTICO DOS PROFESSORES
A característica mais importante da atividade profissional do professor é a mediação entre o aluno e a sociedade, entre as condições de origem do aluno e sua destinação social na sociedade, papel que cumpre provendo as condições e os meios que assegurem o encontro do aluno com as matérias do estudante.
Quando o professor se posiciona, consciente e explicitamente, ao lado dos interesses da população. Ele insere sua atividade profissional na luta por melhores condições de vida e de trabalho e a ação conjunta pela transformação das condições gerais, econômicas, políticas e culturais da sociedade.
Livro: DIDÁTICA (JOSÉ CARLO LIBÂNEO, CORTEZ EDITORA, SÃO PAULO – SP, 1993)

4 comentários:

  1. Ótimo Nedyjane e Carline, bem resumido e abordado os pontos principais do texto.
    Espero que continuem assim dedicadas e trazendo contribuições neste processo de educativo.
    Abraços - Renilze Ferreira

    ResponderExcluir
  2. O endereço do nosso blog é:
    http://fafirebiologiadidatica20112.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá, vou fazer um concurso para assistente de educação, confesso que não sei nada sobre a matéria de conhecimentos específicos, pesquisando pra ver se achava um pouco do conteúdo achei este blog que tem me ajudado bastante a entender tudo sobre pedagogia. obrigada a todos vocês.

    ResponderExcluir